Inscrições Abertas!



 

O Teatro do Noroeste – CDV, com o apoio da Câmara Municipal de Viana do Castelo realiza, entre os dias 17 e 26 de julho de 2017, a 3ª edição de um curso de verão intensivo para atores profissionais, no Teatro Municipal Sá de Miranda, em Viana do Castelo, com a designação de ESCOLA DE VERÃO PARA ATORES 2017, consagrada ao tema Poesia e Vanguarda, que incidirá sobre a obra de três poetas vanguardistas do século XX: Almada Negreiros, Federico García Lorca, Vladimir Maiakovski.

Com coordenação de Guillermo Heras, a ESCOLA DE VERÃO PARA ATORES 2017 destina-se a intérpretes profissionais e estudantes de interpretação interessados numa experiência de aprendizagem teórico-prática especializada no campo de criação do ator. 

A ESCOLA DE VERÃO PARA ATORES 2017 conta com um formador de reconhecido mérito para cada umas das áreas abordadas:

  • Lorca Guillermo Heras
  • Almada Negreiros Ricardo Simões
  • Maiakovski Gonçalo Amorim
  • Movimento e Oralidade Isabel Barros e Teresa Lima
  • Investigação Multimédia Antonio Simón 
  • Vanguardas Artísticas Alexandra Moreira da Silva

A ESCOLA DE VERÃO PARA ATORES 2017 tem 25 vagas para participantes e 50 vagas para assistentes que, no âmbito da sua atividade académica, profissional ou pessoal, se inscrevam para acompanhar os trabalhos.

As inscrições devem ser feitas através do formulário constante no final desta página.

Os atores-participantes serão selecionados de acordo com apreciação curricular e motivações para a inscrição. 

Os assistentes deverão apenas mencionar as motivações para a inscrição.

A listagem de candidatos admitidos será publicada no dia 4 de julho em www.centrodramaticodeviana.com.

Mais informações:

escoladeverao@centrodramaticodeviana.com

258 823 259 / 967 552 988

 


HORÁRIO

     

17 a 26 julho 2017 | segunda a sábado | 10h00-13h00 / 16h00-19h00 / 21h00-24h00

 

VAGAS

25 atores-participantes

50 assistentes 

 

VALOR DA INSCRIÇÃO

 Atores-participantes  

150€
alojamento incluído
 

 
Assistentes 

25€
alojamento não incluído

 

LOCAL DE FORMAÇÃO

 Palco do Teatro Municipal Sá de Miranda, Viana do Castelo, Portugal

 

ALOJAMENTO

 

O Centro Social e Paroquial de Santa Maria Maior dista apenas aproximadamente 300 metros do Teatro Municipal Sá de Miranda. Trata-se de uma IPSS que mantém atividade protocolada com o Instituto Politécnico de Viana do Castelo para o acolhimento e residência de estudantes do Programa ERASMUS.

Os quartos dispõem de WC privativo e internet wireless. Existe uma cozinha comum que permite a preparação de refeições ligeiras.

 
 

PROFESSORES 2017 

Guillermo Heras / Coordenação

Laboratório de Criação

Nasceu em Madrid, em 1952. É licenciado em Interpretação pela Real Escola Superior de Arte Dramática e Dança. Ator, Diretor do Grupo Tábano (1974 - 1983) e Diretor do Centro Nacional de Novas Tendências Cénicas (1983 – 1993). Conjugou estas atividades com mais de cinquenta participações em espetáculos profissionais como ator e dramaturgo. Trabalhou textos de Koltés, Pasolini, Nieva, Del Amo, Lorca, Shakespeare, Berkoff, Belbel, Mayorga, Ares, Rodrigo García, Sirera, Brecht, J. R. Fernández, Magua, Moreira da Silva, Bergamín, Sarah Kane, Durringer, Calderón. Diretor e editor das coleções teatrais "Nuevo Teatro Español", "Nueva Escena", "Teatro Español Contemporáneo" e "Teatro Americano Actual". Autor de diversos livros teóricos e várias obras dramáticas. Atualmente é diretor da Mostra de Teatro Espanhol de Autores Contemporâneos. Foi membro fundador do Teatro del Astillero. Recebeu o Prémio Nacional de Teatro em 1994 e o Prémio Lorca de Teatro em 1997. Dirigiu no TN-CDV, em Viana do Castelo, "Cartas de Amor a Staline" (2001) de Juan Mayorga, "Édipos" (2000), de Alexandra Moreira da Silva e "Psicosis 4.51", de Sarah Kane (2002).

É consultor artístico e criador regularmente convidado do Teatro do Noroeste – CDV.

 

Gonçalo Amorim 

Maiakovski

Gonçalo Amorim nasceu no Porto em 1976, frequentou o curso de Antropologia da Universidade Nova de Lisboa, e é licenciado pela Escola Superior de Teatro e Cinema (ESTC) em teatro no ramo de Formação de Atores e Encenadores, realizando o seu estágio como assistente de João Brites no seminário sobre a Consciência do Ator em Cena, que este ministra na ESTC. É cooperante e ator do Teatro O bando desde 1999, com O bando já fez oito espetáculos, com os Primeiros Sintomas do qual é membro também já fez diversos espetáculos. Trabalhou ainda como ator com o Útero, a Companhia Olga Roriz, com o Cão Solteiro, a Truta e com os Artistas Unidos. No teatro e na dança já fez espetáculos de Ana Nave, Bruno Bravo, João Brites, Madalena Victorino, Mathias Poppe, Miguel Moreira, Nuno Cardoso, Nuno Carinhas, Olga Roriz e Ricardo Aibéo. Em Cinema já trabalhou com Edgar Feldman, Raquel Freire, José Filipe Costa e Edgar Medina. Já lecionou em cursos superiores de teatro como na ESMAE e na ESTAL. Encenou "Rumor Clandestino" de Fernando Dacosta, "Casas" de Miguel Castro Caldas, e "A Mãe" de Bertold Brecht. Em 2007 ganhou o prémio da crítica de melhor espetáculo do ano pela encenação de "Foder e ir às compras" de Mark Ravenhill.

É diretor artístico do Teatro Experimental do Porto (TEP), desde 2012, e diretor artístico do Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica (FITEI), desde 2014.

 

Alexandra Moreira da Silva

Vanguardas Artísticas

Professora no Instituto de Estudos de Teatro na Universidade Sorbonne Nouvelle – Paris III. Bolseira da Fundação Gulbenkian entre 2000 e 2003, doutorou-se em 2007 com a dissertação La question du poème dramatique dans le théâtre contemporain (Faculdade de Letras da Universidade do Porto / Université Sorbonne Nouvelle – Paris III). É investigadora do Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa (FLUP) e do “Groupe de recherche sur la Poétique du drame moderne et contemporain” (Sorbonne Nouvelle-Paris III). Áreas de investigação: Estudos de teatro e estudos de tradução. Traduziu peças de autores franceses, portugueses, brasileiros e argentinos, e vários ensaios sobre teatro, nomeadamente O Futuro do Drama de Jean-Pierre Sarrazac. É membro do comité de leitura da “ Maison Antoine Vitez” e da Associação Portuguesa de Críticos de Teatro. Tem vários artigos publicados sobre dramaturgia moderna e contemporânea e sobre tradução de textos de teatro. Em 2011, foi distinguida pelo governo francês com o título de Chevalier dans l’ordre des Palmes Académiques. 

 

Antonio Simón

Investigação Multimédia

Nasceu em 1949 em A Coruña. Licenciado em Arte Dramática (Interpretação) e Doutorando na Universidade de A Coruña (Estratégias Cognitivas nas Didáticas dos Feitos Culturais). Tem vários textos publicados e artigos de opinião sobre o mundo do Teatro. Leciona Direção Cénica, Espaço Cénico, Interpretação e Espaço Cénico em Escolas de Teatro da Galiza. Ator de teatro, cinema, vídeo e televisão. Realizou, dirigiu e produziu para cinema, vídeo e televisão. Encenou diversos espetáculos de teatro, tendo “O Caso Otero” ganho o Prémio de Teatro Rafael Dieste em 2007. Concebeu igualmente o espaço cénico, figurinos e iluminação de vários espetáculos, entre os quais no Centro Dramático de Viana (2000, 2001, 2002 e 2011). Recebeu vários prémios e distinções, entre os quais o Premio de la Critica de Las Artes de La Representación (Vigo), Prémio de Cenografia nos Premios de Teatro del Correo Galego e da ADE, Prémio AGAPI para melhor filme e melhor direção (“La Novia de Medianoche”) e Premio XIRIA a la Labor Teatral, no XIX Festival de Cangas.

 

Isabel Barros 

Movimento 

Ao longo da sua carreira tem desenvolvido trabalho como coreógrafa, intérprete, programadora e formadora. Nasceu no Porto e é membro da direção do balleteatro do qual foi fundadora. Após a sua formação inicial em dança clássica com Ruth Howner realizou diversos cursos em dança contemporânea e composição em Paris, onde residiu e estudou. Participou em diversos seminários dirigidos por Gisèle Barret e Pierre Voltz no Institut d' Etudes Théâtrales – Paris III. Em 1996, Berlim, fez um estágio com Susanne Linke onde desenvolveu trabalho na área da performance a solo. Estudou teatro e conclui a licenciatura do Curso Superior de Teatro na Escola Superior Artística do Porto. Colaboradora regular do Teatro de Marionetas do Porto, desde 1994, fez também direção coreográfica do espetáculo O Lobo Diogo e o Mosquito Valentim, dirigidos por João Paulo Seara Cardoso e apresentados na Casa da Música no Porto. Como programadora concebeu para o balleteatro auditório diversos ciclos de espetáculos nas áreas da dança, do teatro e da música privilegiando formatos transversais e alternativos e dedicando momentos para criadores emergentes. Recebeu o prémio Almada (1999), atribuído ao balleteatro, como distinção do trabalho realizado ao nível da programação. Relacionado com esta atividade tem colaborado com diversas redes nacionais e internacionais e é membro do conselho artístico de Repérages Danse à Lille. É professora no balleteatro, na Escola Superior Artística do Porto e na Escola Profissional de Musica de Espinho e formadora convidada noutras instituições. É responsável pela coordenação de vários projectos artísticos de carácter social. Recebeu o 1ºprémio Giros – festival de Artes, um evento APNA, Associação Promoção Novos Artistas, pelo trabalho realizado com bailarinos, atores, músicos e um grupo de pessoas portadoras de deficiência, numa colaboração entre o balleteatro e o Centro Regional de Paralisia do Norte. Em 2008 lançou o seu primeiro livro, “Quando é que chegamos?”, especialmente dirigido às crianças. Desde Novembro de 2010 é diretora artística do Teatro de Marionetas do Porto.

 

Teresa Lima

Oralidade

Licenciada em Filologia Românica, fez curso de Formação de Atores da Comuna Teatro de Pesquisa e o Curso de Arte de Dizer do Conservatório Nacional. Foi professora de Português no ensino Preparatório e Secundário e de Linguística no Ensino Superior. Como atriz trabalhou na Comuna, Novo Grupo (de que foi a fundadora) e O Bando. Como professora de voz, lecionou nas escolas Ballet Teatro, Academia Contemporânea do Espetáculo, Escola Superior de Dança e Etic, entre outros. Atualmente, faz parte da Direção Artística do Teatro O Bando tendo sido responsável pela Oralidade de cerca de 30 espetáculos desta companhia. É formadora de professores e de profissionais que usam a voz em público.



Ricardo Simões

Almada Negreiros

Natural de Viana do Castelo, 1979. Licenciado em Gestão Artística e Cultural, ganhou duas bolsas de mérito académico e iniciou estudos de doutoramento em Estudos Culturais no ano de 2011, nas universidades do Minho e de Aveiro, integrando o Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS-ICS/UM). Estreou-se como ator em 1997 no Teatro do Noroeste – CDV e trabalhou com as companhias Seiva Trupe, Teatro Experimental do Porto, Entretanto Teatro, Trigo Limpo – Teatro ACERT e Teatro O Bando, dirigido por Ulysses Cruz, Carlos Avillez, João Grosso, Fernando Gomes, Norberto Barroca, Xúlio Lago, Manuel Geraz, Castro Guedes, José Martins, entre outros. No Teatro do Noroeste – CDV, entre 1997 e 1999, e desde 2006 até à data, participou em 46 produções como ator, assistente de produção e assistente de encenação. Em 2012, estreou-se como dramaturgo e, em 2013, assinou a sua primeira encenação, escrevendo e dirigindo seis novas criações. Vem promovendo colaborações com criadores nacionais e estrangeiros, como José Prata, Antonio Simón, Graeme Pulleyn, Alexandra Moreira da Silva e Guillermo Heras. Desde setembro de 2015, é diretor artístico do Teatro do Noroeste – CDV.

 

   CANDIDATURA

  Participante (assinalar um):
    
  Assistente (assinalar um):
    
  Nome:
    
  Idade (opcional):
    
  Morada:
    
  Nacionalidade:
    
  Telefone/telemóvel:
    
  Email:
    
  Link para CV (opcional):
    
  Formação e Experiência:
    
  Observações: